Slideshow

Tradutor - Translater - Traductor - Traducteur - Traduttore - Översättare - 翻译 - Переводчик

Se quer receber actualizações do meu blog

Coloque aqui o seu email:


Powered by FeedBlitz

25 de janeiro de 2009

Na tua mão

Na tua mão

futurante a tua luminosa asa que chega em atitude cheia de calma como palavra ou colina despenhada no hipotético gesto .

a tua mão a lavrar o curso dos dias.o teu agitar de garganta rente à casa que é concha de seda de falésias de sedes de extensão concreta sobre o dorso do livro re.escrito com paixão. ou esquecimento. na tua mão que é força sendo convite persigo um sinal. que seja.desafio ou génesis.

refiro-me à bandeja onde te recolho o olhar. esplendes sobre todos os equívocos. brilhas entre as linhas leais.és a mão que esventra e o texto que responde ao silêncio.

seguro o dia antigo. registo a permuta consentida. faço-te arrepio de agudos suspiros. e solto o mel. da tua mão. anel. lento e frágil. digo assim anunciadamente a favor das tentações. que o voo é mais da linhagem do saber e a chegada é no mínimo o repouso.

Blog: Piano
"Todos os direitos de autor reservados"

37 comentários:

Vivian disse...

Hola Nuno!
Preciosa la imagen y la música.
Besos

M. disse...

A ternura da imagem é imensurável.

Entrar aqui e re.encontrar o verbar da diva do Piano é bálsamo para o recomeço dos dias cinzentos. de outros arrepios e suspiros.

Saio revigorada.

Beijo Nuno. Beijo diva.

Sandra Rocha disse...

Que imagem fabulosa que hoje trouxeste até nós e com um belo texto.
Parabéns a ambos.
Beijos.

hora tardia disse...

fantástica Imagem. a cada vez mais o encanto de um momento ímpar do teu olhar!


Obrigada Nuno.

Foi um prazer escrever para esta "mão".



abraço. futurante. sim.

Marta disse...

Uma mão suave e cheia de ternura....
Ao encontro de dias que se querem igualmente suaves e ternos...
Beijos e abraços
Marta

Anónimo disse...

A simplicidade de uma imagem k é de uma grande beleza, um trabalho lindissimo e acompanhado de umas belas palavras, parabens bjs

Eu

Teresa Durães disse...

lindo contraste!

PiresF disse...

Amigo Nuno, pelo que aqui leio e vejo, a “estampa” dará à prensa o tipo perfeito.

Confesso que, da Isabel mendes Ferreira, tudo se espera excepto o mau ou o medíocre, são adjectivos que felizmente não a acompanham, e esta união em que o ler e o ver são obrigatórios e onde a arte do fotografo não é alheia a quem visita esta excelsa casa, prova à saciedade que existe uma novíssima poesia e que o meu amigo -com todo o respeito pela pluralidade das formas de sentir, desde que tenham qualidade, não poderia querer um outro texto para esta esplêndida fotografia.
Em boa hora se juntaram dois poetas para nos proporcionar esta sublime leitura, fico, pois, grato aos que têem a capacidade, não só de sentir, como de não isentarem a oportunidade de nos dar a conhecer tanta beleza num tempo de qualidade tão escassa.

Obrigado Isabel! Obrigado Nuno!

Bem-hajam!

Anónimo disse...

Parabens Nuno,
De facto aliar a imagem à escrita torna qualquer trabalho enriquecedor.
Tive oportunidade de ler todos estes textos e inclusive os vários comentários.
E ao ler o seu comentário de resposta a um tal "piresf"despertou-me a curiosidade e visitei os dois blogs: Piano e Fragmentos.
Não consegui perceber como é que utilizando as duas exactamente o mesmo tipo de escrita e inclusivé imagens ( até pensei que se poderia tratar da mesma pessoa ou de alguem a copiar alguem)... mas a escrita do Fragmentos é protegida e com um livro lançado ,não entendi!!!,como é que a critica para um texto seja positiva e para o outro tão negativa!
para mim das duas três...
ou não leu(OU NÃO SABE INTERPERTAR) ou tem alguma coisa contra a autora.
tambem(como é óbvio)decidi dar uma vista de olhos ao pobre espaço ESPREITADOR e aí... percebi.

PARABENS PELA RESPOSTA QUE LHE DEU!
pessoalmente lamento que o sr.em questão tenha os comentários CENSURADOS e não deixe que se lhe possa responder à letra.

um abraço,

Luis Miguel.
(não sou um anónimo)


MAIL:arcanjomiguel52@gmail.com

Betty Branco Martins disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Nuno de Sousa disse...

Boas noites Luís,

Cada pessoa tem os seus gostos e interpretações e temos de as aceitar, os dois blogues a que se refere são distintos e cada uma das pessoas que neles escrevem têm a sua arte na escrita e por isso as ter escolhido para escreverem para as minhas fotos, porque gosto de ambos (Blogues) e ambas (as pessoas) além de boas amigas sabem o que fazem… claro que tem quem goste e outras que não gostem, é um direito que lhes assiste, tal como tem pessoas que gostam minhas fotos e outras não… de qualquer maneira uma boa crítica é sempre saudável e adoro receber sempre boas críticas, só assim poderemos aprender e a melhorar o nosso trabalho.

Eu gosto de ambos os blogues e isso é o que mais me interessa, e digo que existem poucas pessoas a escreverem desta maneira como ambas, é um prazer enorme as ter aqui neste escrevendo para o meu blogue e assim vão continuar.

As opiniões ficam e cada um tem o direito a elas.

A resposta que dei à pessoa de nome PiresF uma pessoa que nunca faltou ao respeito por aqui e é sempre aqui bem vindo foi em defesa do que gosto e do porquê de ter essa pessoa como minha convidada, dei a minha opinião mas aceitando esse mesma opinião sem nunca a colocar em causa… afinal se não gosta tem o direito a isso podendo dar a sua opinião tal como o Luís aqui deixou a sua.

Cumprimentos,
Nuno de Sousa

mié disse...

...



Picada pela curiosidade, vim do Piano em busca da mão que guarda o malmequer que é delícia do insecto.
A generosa imensidade do gesto!

Uma óptima ideia, complementar as fotografias com poesia de autores. A única autora aqui presente que conheço é a Isabel, a Alma como eu a chamo, Alma em expansão como eu a vejo e sinto. Parabéns aos dois.

Parabéns a todos.

deixo-te um beijo.





Ah...

...pois, também faço uns bonecos
se quiseres vai lá ver :)

pin gente disse...

nem sei que dizer, nuno!
estarei muda? sim, vocês deixaram-me sem gotas na língua... as gotas que junto para formar palavras.

beijo, nuno
beijo, isabel

Fatyly disse...

seguro o dia antigo. registo a permuta consentida. faço-te arrepio de agudos suspiros. e solto o mel. da tua mão. anel.
.........................
um texto magnífico para uma foto fantástica.

Foi tão bom vir até aqui!

Beijos aos autores:)

maria josé quintela disse...

dulcíssimo!






de tanto Mel.

Lmatta disse...

gostei do texto
a foto esta um espanto
beijos

mariam disse...

Nuno,
demoradamente pousei o olhar nesta imagem que é por si poesia e na poesia que é por si imagem. ARTE .

parabéns a ambos!

boa semana
grande abraço e o meu sorriso :)
mariam

xistosa - (josé torres) disse...

Estão lá todas linhas formadas pelas elevações da pele, (sendo uma característica única entre os seres humanos), com uma nitidez, que para mim ofuscam até a cor da flor e do insécto.

Vejo a letra a seguir ao ponto minúscula.
(Não gosto)
Mas sou eu.
Depois o texto esconde-me o que não gostava.
Belo texto:
"faço-te arrepio de agudos suspiros. e solto o mel. DA tua mão"
... que o voo é mais da linhagem do saber e a chegada é no mínimo o repouso.

Texto e foto que se equilibram e nos desequilibram numa apreciação muito, mas muito subjectiva.

Gostei!

FERNANDA & POEMAS disse...

QUERIDO NUNO, ESTA FOTO ESTÁ MARAVILHOSA... O TEXTO TAMBÉM GOSTEI... FICOU BOM O CONJUNTO... PARABÉNS AOS DOIS!!!BEIJINHOS DE CARINHO E TERNURA,
FERNANDINHA

®tossan disse...

Fabulosa macro! Esta mistura de p&b com cores no detalhe me fascina. A tua foto me fascina! Abraço

sou a matéria
errante
sou o mar
em bolero
sou ego
sou fotografia
*tossan*

claras manhãs disse...

Já aqui vim três vezes e saio de mansinho.
A culpada é a Isabel.
Vou da mão para o texto e do texto para a mão, sem saber o que dizer.
Nuno, a foto é ternura, é vida e alegria também.
Isabel, nem sempre gosto do que escreve, mas sei que o mal é meu, porque sou eu que não consigo entender
mas este, este...deixa-me cheia, farta, encimada.

Obrigado aos dois, por este momento tão belo.

beijinho aos dois.

Multiolhares disse...

A foto é linda, as mãos tanta beleza pode abarcar,
tantos sentimentos pode fazer sentir, e as palavras da Isabel também estão uma maravilha, poste muito lindo
beijos para os dois

Carla Alves disse...

Olá Nuno,

Viva! Aqui respira – se poesia, beleza, encantamento …

Gostei muito desta fotografia: há um contraste entre a fragilidade da flor e do insecto e a “robustez” da mão que os acolhe …

O texto é muito interessante e convida – nos à reflexão …

Parabéns! Este blogue está a adquirir uma grandiosidade tremenda!

Um forte abraço,
Carla

* Finalmente consegui chegar “aqui” (comentários) … Isto estava complicado …

Van disse...

Lindíssima foto!!!!!!
Texto idem.

Parabéns!
Beijucas

Apenas Claudia disse...

lindo contraste! muito!

Bjs

mié disse...

Fui dar uma espreitadela ao site e gostei muito. Tem fotografias fantásticas. Parabéns a todos os autores.

Obrigada pelo convite.

Um dia destes talvez me inscreva.

(sabes, eu sou muito despassarada.Tenho um espaço aberto no olhares já vai em anos e apenas lá tenho 2 fotografias.)

deixo um

beijo

Princesa disse...

Parabéns pelas fotografias!
Todas as que vi são fantásticas!

Bom fds

Branca disse...

Gostei do contraste... realçou ainda mais a beleza da flor e a beleza da mão tb, com as digitais tão nítidas...

Boa semana pra vc,
bjo carinhoso.

Viviana disse...

Olá Nuno, meu bom amigo.

Mais uma excelente fotografia.

È belíssima.

Como amante da natureza, tocou-me de uma forma especial.

Um abraço

viviana

isabel victor disse...

Lindíssimo ...


um beijo



iv

Anónimo disse...

Não é surpreendentemente BELO
só poque foi escrito pela IMF,
qual domadora de palavras.

Saído da sua pena, qualquer texto é belo.
Não esperamos outra coisa se não o BELO.

A pianíssima Isabel
descreve esta imagem
pormenor
por pormenor
e, até um cego ouvinte
conseguiria ver a mão, o insecto a sugar o néctar e a colher o polén (mel),
pousada, repousada
sem pressa.
Fascinante.

Diga-se para bem da justiça, bela imagem também.

Parabéns a ambos.

Anónimo disse...

Que riqueza guarda neste espaço.
Esta bela Domadora de Palavras é assim,
origina-se a si mesma, como diz Ary.
Deixo-lhe este poema e dedico-o aos dois
IMF (única e inconfundível) e a si, pelo alcance da objectiva.

ORIGINAL É O POETA

Original é o poeta
que se origina a si mesmo
que numa sílaba é seta
noutro pasmo ou cataclismo
o que se atira ao poema
como se fosse um abismo
e faz um filho ás palavras
na cama do romantismo.
Original é o poeta
capaz de escrever um sismo.

Original é o poeta
de origem clara e comum
que sendo de toda a parte
não é de lugar algum.
O que gera a própria arte
na força de ser só um
por todos a quem a sorte faz
devorar um jejum.
Original é o poeta
que de todos for só um.

Original é o poeta
expulso do paraíso
por saber compreender
o que é o choro e o riso;
aquele que desce á rua
bebe copos quebra nozes
e ferra em quem tem juízo
versos brancos e ferozes.
Original é o poeta
que é gato de sete vozes.

Original é o poeta
que chegar ao despudor
de escrever todos os dias
como se fizesse amor.
Esse que despe a poesia
como se fosse uma mulher
e nela emprenha a alegria
de ser um homem qualquer.

Ary dos Santos

Paulo Demétrio disse...

Fantastica foto ! abraço

Jane Doe disse...

Xiii Tanto comentário! Eheheh

Sim, muitas delas são editadas, eu tenho a mania do photoshop, e andar às turras com a minha máquina (i.e. não perceber nada daquilo...) ajuda muito à festa.

Obrigada pelos comentários.

Esta foto está lá.

pedro alexandre disse...

preciosa imagem, muito bonita

Anónimo disse...

O belo azulíssimo de IMF ilustrado assim...

Digo azul, porque o sinto azul e pronto(s).

Uma música bem tocada. Sem retoques, sem malabarismos.

Ser ARTE assim é só para quem sabe e pode.

Inconfundível.

Nós lemos, gratos, por partilharem connosco a beleza serena e futurante, como diz a poeta.

Nuno,

Abraço e parabéns pelo seu futuro livro de fotos.

À poeta IMF,

ofereço um campo de Lavandula officinalis pelo seu efeito sedativo e tónico para o sistema nervoso, como são as suas palavras
sempre.

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

Acerca de mim

A minha foto
Nasceu na maternidade Bensaúde na freguesia da Nossa Sr.ª de Fátima em Lisboa, no dia 9 de Abril de 1966. Vive presentemente em Mem Martins, concelho de Sintra, distrito de Lisboa. Fotógrafo por paixão, desde bem pequeno sempre admirou os trabalhos de outros fotógrafos mas só de há dois anos a esta parte se dedicou a esta bela arte. Amador e autodidacta, tem tentando aprender os segredos da fotografia; fez recentemente um curso de iniciação à fotografia e pretende fazer mais alguns. Tem ainda aprendido com outros fotógrafos, observando e lendo muito sobre o assunto. Sendo hoje um hobby, gostaria de um dia poder ir mais longe, quem sabe ligado profissionalmente a esta área, hoje é administrador de um site de fotografias nacional: www.fotogenico.net, venha inscrever-se é gratuito. Realizou algumas exposições de fotografia (“Sorrisos” e “Mar”), doando o seu trabalho em prol de um projecto de ajuda aos Mininos di Rua em Cabo Verde. Tem algumas galerias na Internet e um blog onde vai dando a conhecer o seu trabalho. Fotografias de maior interesse: Paisagens, macros, mundo animal, retratos, pôr e nascer de sol, arte digital, desporto e acção, fotografia ligada à nossa história.

Visitas neste Blogue

Seguidores

Bau - Cabo Verde


Discover Bau!